SÍNTESE DA PALAVRA ELO
 No dia seguinte diremos que lhe vamos dar a folha do
elo e que terão de descobrir  quantas letras são necessárias, porque nas suas caixinhas já têm algumas. Depois de entregues as folhas com o desenho do elo, verificando os alunos se alguma das letras que têm ali serve, é natural que muitos digam que só precisam de duas porque uma já a têm e que serviu para a ave. Então dar-lhes-emos as letras que faltam e os alunos comporão a palavra elo. Verificando o professor que todos cumpriram a tarefa, é altura de todos levantarem cada letra à medida que se pronuncia devagar a palavra elo para o professor ver se todos são capazes, mas recolocando-a imediatamente porque outra se lhe segue. Depois de se ler letra a letra a palavra elo (sem nomes, mas sim valores), os alunos abrirão o dossier, tornando a compor a palavra do dia anterior, mostrando outra vez letra a letra, referidas pelo seu valor que não o seu nome. E lá verificarão que o e serviu para as duas palavras (ave e elo), ainda que com valor diferente. E os alunos percebem isso perfeitamente sem o professor ter de explicar o facto – eles concluem por interacção. Há que trabalhar então o traçado correcto da primeira letra do elo. Este trabalho não invalida, antes pelo contrário, que se vão continuando a escrever frases no quadro que os alunos lerão globalmente, tal como já se fazia na fase da globalização. E para todas as palavras de todos os dias, os alunos reverão sempre todas as palavras já arquivadas. A palavra elo aparecerá:  

 

        Finda a lição, o aluno arquivará a folha no dossier e as letras com o nome no verso serão guardadas na respectiva caixinha.

      Por uma questão de esquematizar os procedimentos aconselhados para a análise/síntese da cada palavra, que se repetirão sempre, apresentá-los-emos numerados.

voltar ao índice