Método Natural

      Este método é um método global, só que mais de acordo com os interesses vivenciais dos alunos. E chama-se natural porque se quer tão natural quanto é natural a mãe falar com o filho sobre os seus brinquedos, estando ao mesmo tempo o filho a aprender a falar sem que a mãe esteja com a preocupação de lhe ensinar seja o que for.

      É como se na iniciação desportiva nos debruçássemos sobre uma modalidade que os alunos descobriram como novidade e que levaram para a escola, cheios de interesse, no sentido do professor a trabalhar essa modalidade com eles, em vez de ser sobre uma  que o professor levou para a aula por ser já de prática universal. O professor, por exemplo, poderia pensar no andebol, mas os alunos, pelo método natural, poderiam “impor” os jogos sem fronteira  que viram na véspera na televisão e de que todos falavam nesse dia à entrada da aula.     

       Na iniciação musical, em vez de tudo se basear numa canção que o professor já trazia pensada e preparada, seria sobre uma cantiga que os alunos inventaram espontaneamente lá na sala de aula, inventando cada um uma frase musical e que o professor globalmente organizou. E cada cantiga nova seria conseguida da mesma maneira, organizando-se assim um reportório da turma em que basearia toda a iniciação musical.

        Na iniciação da mecânica automóvel, tudo se passaria sobre um carro que os alunos tivessem visto e que os tivesse verdadeiramente interessado. E por cada lição nova sobre outro automóvel, teria por base outro que eles tivessem por aí observado. E ir-se-iam juntando os carros de estudo, organizando uma exposição.

        Na iniciação da leitura e da escrita não se utilizariam livros de textos com histórias já previamente escritas e preparadas para o efeito. O professor em conversa espontânea com os alunos ir-se-ia apercebendo qual o assunto que mais empolgaria a maioria da turma. Daí comporia pequenas frases, constituindo um pequeno texto que escreveria no quadro, por exemplo, e que o professor iria lendo com os alunos. Esses pequenos textos é que iriam constituindo o livro de estudo da turma. Os próprios alunos iriam também escrevendo esses textos, carimbando as letras numa folha, que depois seria policopiada para formar o livro de cada aluno com as histórias que todos propuseram durante um certo tempo. E sobre este livro se iriam fazendo os exercícios de leitura.

voltar ao índice