Limitações do método das 28 palavras

    Revela algumas melhorias em relação ao analítico –sintético, notando-se-lhe, no entanto, as seguintes limitações:

1º- Os passos globais são mais consistentes do que no analítico – sintético. Ainda assim, procura cedo de mais a sílaba, que privilegia;                                  

 2º-Usa as sílabas das palavras trabalhadas cedo de mais, constituindo um silabário precoce, transformando os seus passos em pormenores do método sintético. Não parte do abecedário, mas sim do silabário; parte um pouquito de mais à frente, mas daí em diante é sintético;                                                                  

3ª- Exige-se muito cedo que a criança, com sílabas de vogais abertas tiradas de palavras dadas, construam palavras com a mesma sílaba, só que fechadas. Por ex.: Se da palavra bola separar a sílaba bo (o aberto), pode propor aos alunos que leiam a palavra boneca, esperando-se que todos compreendam que a sílaba bo seja a mesma, quando na realidade funciona com som diferente, e é pelo som que os alunos as identificam como diferentes;

4º- Os cartões que constituem as sílabas têm todos a forma mais ou menos rectangular, o que exige do professor grande esforço de atenção e absorção de tempo na tentativa de evitar que os alunos as troquem, porque cada eventual troca é seguramente algum retrocesso, por isso resulta num trabalho pouco interactivo no sentido aluno/material, criando pouco o hábito de autonomia no trabalho do aluno.

voltar ao índice